ITALIANAS 

BELCHIOR

 

Champagne


    Depsa/Jodice/D.Francia 

          E                                     Gbm    B7
Champagne  per brindare un’incontro
       Gbm B7                      E
Con te   che giá eri di un’altro
        E7                           A
Ricordi c’era stato un’invito
Gb7                                 B7  
Stasera si va tutti a casa mia
     E  Dbm             Gbm   B7
Cosi cominciava la festa
   Gbm  B7            Gbm   B7
E giá    ti girava la testa
       Db7                             Gbm
Per me   non contavano gli altri
Gb7                   B7               E   E7
Seguivo con lo sguardo solo te
        A   B7                      Abm   Dbm
Se vuoi ti  acompagno se vuoi
                         Gbm
La scusa piú banale
B7                 E          E7
Per rimanere solo io e te
     A       B7           Abm    Dbm
E poi gettare via il perche
                     Gbm E                       A/B
Amarti como sei  la prima volta e l’última

        E        Dbm                  Gbm     B7
Champagne   per un dolce segreto
     Gbm    B7               E
Per noi    un’amore proibito
     Db7                       Gbm
Ormai resta solo un bicchieri
Gb7                B7            E   E7
Ed un ricordo da gettare via
      A  B7                 Abm
Lo so  mi guardate lo so
Dbm                 Gbm    B7  
Vi sembra una pazzia brindare solo
E                  E7               A       B7          Abm   Dbm
Senza compagnia ma, ma io lo devo festeggiari
                        Gbm       B7                    E
La fine di un’amore   /  Camerieri, champagne

 

 

                       Dio como ti amo
                              Domenico Modugno 

        Am                     Dm                                  Am
Nel cielo passano le nuvole / Che vanno verso il mare
                           Dm                                 Am
Sembrano fazzol etti bianchi / Che salutano il nostro amore
                     
              Dm G7
Dio como ti amo / Non é possibile
   Am                                  Dm      
Avere tra le braccia   /   Tanta felicitá
E7                                         Am Am7+ Am7
Baciare le tue labbra   /  Che odorano di vento
           Dm                      F                         E7
Noi due inammorati  /  Como nessuno al mondo 

Am                                     Dm  G7
Dio como ti amo /  Mi vien da piangere
     Am                                             Dm
In tutta la mia vita  / Non ho provato mai
       E7                                      Am Am7+ Am7
Un bene  cosi caro /    Un bene cosi vero
         F                               Dm                      E7
Che puó fermare il fiume / Che corre verso il mare
                Am    Am7+                 Dm
Le rondini nel cielo  / Che vanno verso  il sole
                        Dm6         F                  E7
Che puó cambiar l’amore / L’amore mio per te
 

Am               Dm6      Am              D      
Dio como ti amo /     Dio como ti amo
Am
Dio como ti amo .......


Io che amo solo te
            Intérprete: Sergio Endrigo
 

       D                 Em          Gbm  C7  B7
C’è gente che ha avuto mille cose
             Em             Em/D        A7      
Tutto il bene tutto il male del mondo
D        B7          Em   A7               D
Io ho avuto solo te / E non te perderó
              Bm             Em                     A7
Non ti lascieró / Per cercare nuove aventure 

       D              Em         Gbm   C7  B7  
C’è gente che ama mille cose
          Em           Em/D        A7
E si perde per la strade del mondo
D           B7         Em
Io che amo   solo te
A7               D                Bm
Io mi fermeró  e  ti regaleró
               Em            A7           D
Quel que resta della mia gioventú 

            B7        Em       A7            D
Io ho avuto solo te / E non ti perderó
              Bm              Em                 A7
Non ti lascieró / Per cercare nuove illusioni 

       D             Em           Gbm   C7  B7
C’è gente che ama mille cose
        Em            Em/D          A7
E si perde per la strade del mondo
D          B7        Em
Io che amo solo te
 A7              D              Bm
Io mi fermeró e ti regaleró
               Em            A7          D
Quel que resta della mia gioventú

BELCHIOR

 

Paralelas

Galos, noites e quintais

Medo de avião

Apenas um rapaz Latino Americano

Comentários a respeito de John

Como nossos pais

Espacial

Tudo outra vez

Conheço o meu lugar

Divina Comédia Humana

 

 

 

Paralelas

Belchior

E                                      A

Dentro do carro, sobre o trevo a cem por hora, ó meu amor

          E7/9                  A

Só tens agora os carinhos do motor

          E7/9

E no escritório em que eu trabalho

       A                     D7/9                   E

E fico rico, quanto mais eu multiplico diminui o meu amor

E                                       E

Em cada luz de mercúrio vejo a luz do seu olhar

                                          Bm7       E7 E/D    A

Passas praças, viadutos, nem te lembras de voltar, de voltar, de voltar

         A                              (C°)

No corcovado quem abre os braços sou eu

B7      E                         E/D

Copacabana esta semana o mar sou eu

          F#/C#                    A/B

Como é perversa a juventude do meu coração

          E            F7M/5-           E

Que só entende o que é cruel e o que é paixão

         E/D                        A/C#

E as paralelas dos pneus n'água das ruas

      A            Bm7                      A/C#

São duas estradas nuas em que foges do que é teu

          Bm7             E7          A

No apartamento, oitavo andar, abro a vidraça e grito

                                        E

Grito quando o carro passa: teu infinito sou eu

           E/D     A/C#

Sou eu, sou eu, sou eu

 

  

Galos, Noites e Quintais

Belchior

Intr.: A   E   (A  F#m)   E4/7   E

   E

Quando eu não tinha o olhar lacrimoso

     F#

Que hoje eu trago e tenho

   A

Quando adoçava o meu pranto e o meu sono

       E                         D   A

No bagaço de cana de engenho

Quando eu ganhava esse mundo de meu Deus

Fazendo eu mesmo o meu caminho

Por entre as fileiras do milho verde que ondeiam

        E

Com saudades do verde marinho

    A

Eu era alegre como um rio

    F#m

Um bicho, um bando de pardais

          D

Como um galo, quando havia

              E

Quando havia galos, noites e quintais

     A

Mas veio o tempo negro e a força fez

   F#m

Comigo o mal que a força sempre faz

     D                    E

Não sou feliz, mas não sou mudo

                     A

Hoje eu canto muito mais

 

 

Medo de avião
Tom: G
G       D/F#       Em
Foi por medo de avião
           C                 D          G
Que eu segurei pela primeira vez na tua mão
             D/F#           Em
Um gole de conhaque, aquele toque em teu cetim
    C           D            G
Que coisa adolescente, James Dean
        D/F#       Em
Foi por medo de avião
           C                 D          G
Que eu segurei pela primeira vez na tua mão
                 D/F#       Em
Não fico mais nervoso, você já não grita
        C           D           G
E a aeromoça, sexy, fica mais bonita
        D/F#       Em
Foi por medo de avião
           C                 D          G
Que eu segurei pela primaira vez na tua mão
            D/F#        Em
Agora ficou fácil, todo mundo compreende
       C             D                 G
Aquele toque Beatle, I wanna hold your hand
Apenas um Rapaz Latino Americano 
Tom: E
Intro: E Gbm 7 Abm7 A B7

         E               Gbm7           Abm7
Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
     A                      B7               B7/4 B7
Sem parentes importantes e vindo do interior
       E                              Gbm7  
 Mas trago, de cabeça, uma canção do rádio
                      Abm7
 Em que um antigo compositor baiano me dizia
         A                B7/4   B7  (Bb7 na 2x)
 Tudo é divino, tudo é maravilhoso (Bis)
A                    Abm7                      A                   Abm7
Tenho ouvido muitos discos, conversado com pessoas, caminhado meu caminho
                      A                   Abm7
Papo ,som dentro da noite e não tenho um amigo sequer
                A                               B7/4 B7 
E não acredite nisso, não, tudo muda e com toda razão
        E               Gbm7           Abm7
Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
     A                      B7               B7/4 B7
Sem parentes importantes e vindo do interior
      E                  Gbm7
 Mas sei que tudo é proibido aliás, eu queria dizer
      Abm7                 A
 Que tudo é permitido até beijar você no escuro do cinema
          B7/4       B7    (Bb7 na 2x)
 Quando ninguém nos vê (Bis)
A                    Abm7                    A
Não me peça que lhe faça uma canção como se deve
                  Abm7                      A
Correta, branca, suave, muito limpa, muito leve
                     Abm7                    A
Sons, palavras, são navalhas e eu não posso cantar como convém
                  B7/4 B7
Sem querer ferir ninguém
     E                                Gbm7
Mas não se preocupe meu amigo com os horrores que eu lhe digo
               Abm7           A
Isso é somente uma canção, a vida, a vida realmente é diferente
                            B7/4 B7
Quer dizer, a vida é muito pior
         E                Gbm7                Abm7
Eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco
     A                                                   B7/4 B7
Por favor não saque a arma no "saloon" eu sou apenas um cantor
  E                        Gbm7
 Mas se depois de cantar você ainda quiser me atirar
          Abm7                         A
 Mate-me logo, à tarde, às três, que à noite tenho um compromisso
                                  B7/4 B7  (Bb7 na 2x)
 E não posso faltar por causa de você  (Bis)
        E               Gbm7           Abm7
Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
     A                      B7               B7/4 B7
Sem parentes importantes e vindo do interior
     E                Gbm7                   Abm7
Mas sei que nada é divino, nada, nada é maravilhoso
                 A                     E
Nada, nada é sagrado, nada, nada é misterioso, não
Gbm7 Abm7 A E
Na na na na na na na na

 

Comentários a Respeito de John 
Tom: G
Intro: (C G) D7
    G       C      G                   C     G
R   Saia do meu caminho, eu prefiro andar sozinho
E                    C           A7 D7
F   Deixem que eu decida a minha vida
    G           C       G                  C      G
0   Não preciso que me digam de que lado nasce o sol
1                         C        A7 D7
    Por que sei que bate lá meu coração
 C                          G
Sonho e escrevo em letras grandes (de novo)
 C              D7
Pelos muros do país
R   Bm       C     A7                  D7
E   João, o tempo andou mexendo com a gente sim
F   Bm            C 
    John, eu não esqueço (oh no, oh no) 
0   A7                       C  G    C  G    C  G  D7
2   A felicidade é uma arma quente, quente, quente (Introd./ Ref. 01)
 C                  G
Sob a luz do teu cigarro na cama
C                     D7
Teu rosto-rouge, teu batom me diz: Ref. 02

 

Como Nossos Pais 
Tom: Gbm
Intro: Gbm
      Gbm
Não quero lhe falar meu grande amor
      B7                            E
Das coisas que aprendi nos discos. Quero lhe contar como eu vivi
         A                    Gbm
E tudo que aconteceu comigo. Viver é melhor que sonhar
      B7                                          E
E eu sei que o amor é urna coisa boa, mas também sei 
                                                      A
Que qualquer canto é menor que a vida de qualquer pessoa 
                                           Bm7
Por isso cuidado meu bem há perigos na esquina 
 E                                        A
Eles venceram e o sinal está fechado pra nós que somos jovens
                                             D
Para poder abraçar meu irmão e beijar minha menina, na rua
    E                                             A A7
É que se fez o meu lábio, o meu braço, e a minha voz
         D                     A
Você me pergunta pela minha paixão
                  D                          A
Digo que estou encantado com urna nova invenção
                    D                            A
Eu vou ficar nesta cidade, não vou voltar pro sertão
                        D                          A
Pois vejo vir vindo no vento, o cheiro da nova estação
                     D                    E E7
Eu sei de tudo na ferida viva do meu coração
        A                   D               A                   D
Já faz tempo eu vi você na rua, cabelo ao vento gente jovem reunida
      A                         D               E
Na parede da memória essa lembrança é o quadro que dói mais
       A                    D                    A                D
Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo que fizemos
       A                   D            A                   D
Ainda somos os mesmos e vivemos, ainda somos os mesmos e vivemos
             E     E7       
Como nossos pais  
       A                    D
Nossos ídolos ainda são os mesmos
       A               D               A
E as aparências não enganam não. Você diz que depois deles
D              E         E7      A
Não apareceu mais ninguém. Você pode até dizer
                  D               A                 D
Que eu estou por fora ou então que eu estou inventando
         A                             D
Mas é você que ama o passado e que não vê
     A                               D                     E
É você que é ama o passado e que não vê que o novo sempre vem
         A                      D
Hoje eu sei que quem me deu a idéia
                  A                D          A                  D
De uma nova consciência e juventude, está em casa guardada por Deus
            E 
Contado os seus metais
       A                    D                    A                D
Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo, tudo que fizemos
       A                   D            A                   D
Ainda somos os mesmos e vivemos, ainda somos os mesmos e vivemos
             E     (E D A)       
Como nossos pais  

 

Espacial 
Tom: C
Intro: (C E7 Am7 G F Gbo G7)
C            E7  Am7
Olha para o céu: tira teu chapéu
   F             Gbo    G7
Pra quem fez a estrela nova - que nasceu
C            E7     Am7
Traz o teu sorriso novo espacial
   F              Gbo     G7     C E7
Pra quem fez a estrela artificial
   Am7             Am7/G Gbo          E7
Eu sei que agora a vida deixa de ser vã
              A7               
Pois há mais luz na avenida    
           Dm7
E mais um astro na manhã
      Fm                        Em            A7
Quem volta do seu campo,ao sol poente, vem dizer
          D7                        G
Que a estrela é diferente e faz o trigo aparecer
    C            E7   Am7
R   Olha para o céu: tira o teu chapéu
E         F           Gbo   G7
F   Pra quem fez a estrela nova - que nasceu
R   C              E7     Am7
à   Não é pra São Jorge, nem pra São João
O        F            Gbo   G7     C
    Pois não é outra lua e não é balão
G                         C
Quem mora no Oriente não vai se incomodar
    A7                       Dm7
Ao ver que no Ocidente a estrela quer passar
     Fm                    Em         A7
Não há mais abandono nem reino de ninguém.
      D7                    G
Se a terra já tem dono, no céu ainda não tem
                          C
Por isso vem; deixa o cansaço, apressa o passo
         G                             
E vem correndo pro terraço e abre os braços 
                    C
Para o espaço que houver
             F            Fm             Em
Quem não quiser deixar a terra em que vivemos
       A7          Dm7          G         
Pelos astros onde iremos vai ouvir 
         C  C7         F
Ver e contar tantas estrelas
         Fm            Em               A7         Dm7
Quantas forem nossas naves, noutros mares mais suaves
   C           C
A voar, voar, voar. (C E7 Am7 F Gbo G7 C) Refrão

 

Tudo Outra Vez 
Tom: F
Intro: (F C) Dm Bb F C7
    F                          C           Dm7
Há tempo muito tempo que eu estou longe de casa
         Dm7/C            Bb      
E nessas ilhas cheias de distância 
                  C            F C7
O meu blusão de couro se estragou
  F                  C        Dm7 
Ouvi dizer num papo da rapaziada 
            Dm7/C                Bb
Que aquele amigo que embarcou comigo
              C                    F C7
Cheio de esperança e fé, já se mandou
    F                 C                 Dm7  
Sentado à beira do caminho pra pedir carona
       Dm7/C                 Bb          
Tenho falado à mulher companheira 
                  C        F                C7
Quem sabe lá no trópico a vida esteja a mil
     F                    C                 Dm7
E um cara que transava à noite no "Danúbio azul"
              Dm7/C                Bb    
Me disse que faz sol na América do Sul
                      C           F              F7
E nossas irmãs nos esperam no coração do Brasil
 Bb7
Minha rede branca, meu cachorro ligeiro
   F                             F7
Sertão, olha o Concorde que vem vindo do estrangeiro
       C7
O fim do termo "saudade" como o charme brasileiro
      F              F7   
De alguém sozinho a cismar
 Bb7
Gente de minha rua, como eu andei distante
        F                      F7
Quando eu desapareci, ela arranjou um amante.
       C7
Minha normalista linda, ainda sou estudante
         F               Gb Db Ebm7 Ebm7/Db B7 Db
Da vida que eu quero dar
  Gb                Db            Ebm7
Até parece que foi ontem minha mocidade
                Ebm7/Db
Meu diploma de sofrer de outra Universidade
               Db7              Gb               Db7
Minha fala nordestina, quero esquecer o francês
  Gb                   Db                    Ebm7
E vou viver as coisas novas, que também são boas
                   Ebm7/Db            B7
O amor/humor das praças cheias de pessoas
                Db7              Gb Db Ebm7 Dm7/Db B7 Db7 Gb
Agora eu quero tudo, tudo outra vez

  

Conheço o meu lugar

             Introdução:                C D C D C D E 
                              C D C D C D E
      G                           D
O que é que pode fazer o homem comum 
                                 Em
neste presente instante senão sangrar?
                             A
Tentar inaugurar a vida comovida, 
                                          D4               D  D9
inteiramente livre e triunfante?
      G                                 D
O que é que eu posso fazer com a minha 
                     Em
juventude - quando a máxima saúde hoje 
         A         D4   D   D9
é pretender usar a voz?
      G
O que é que eu posso fazer - um simples 
      D
cantador das coisas do porão? (Deus fez 
                  Em
os cães da rua pra morder vocês que sob a 
        A
luz da lua, os tratam como gente - é 
                 D4   D   D9
claro! - a pontapés.)
         G
Era uma vez um homem e seu tempo... 
           D
(Botas de sangue nas roupas de Lorca).
         Em
Olho de frente a cara do presente e sei 
           A
que vou ouvir a mesma história porca.
     G                        D
Não há motivo para festa: ora esta! Eu 
não sei rir a toa!
        Em
Fique você com a mente positiva que eu 
              A
quero a voz ativa (ela é que é uma boa!) 
                 Em
pois sou uma pessoa.
                A
Esta é minha canoa: eu nela embarco.
            Em
Eu sou pessoa!
                                  A
(A palavra "pessoa" hoje não soa bem - 
pouco me importa!)
G                                  D
Não! Você não me impediu de ser feliz!
                                    Em
Nunca jamais bateu a porta em meu nariz!
Ninguém é gente!
    A
Nordeste é uma ficção! Nordeste nunca 
D4   D   D9
houve!
G                                  D
Não! Eu não sou do lugar dos esquecidos!
                          Em
Não sou da nação dos condenados!
                           A
Não sou do sertão dos ofendidos!
Você sabe bem:
    D            G    Bm      C
Conheço o meu lugaaaaaaaaaaaaar! 4x
Introdução. 
  

Divina Comédia Humana

             Tom: F#m
Intro: A E
F#m                              G#m
Estava mais angustiado que um goleiro na hora do gol
F#m                   A                   E
Quando você entrou em mim como um Sol no quintal
F#m                                        G#m
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou ser feliz direito
         F#m                     A                        E
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um encontro casual
F#m                                       G#m
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou viver satisfeito
         F#m                     A                       E
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um transa sensual
   F#m                  
Deixando a profundidade de lado
                   G#m      
Eu quero é ficar colado à pele dela noite e dia
         F#m                   A                           E
Fazendo tudo de novo e dizendo sim à paixão morando na filosofia
    F#m                         G#m
Eu quero gozar no seu céu, pode ser no seu inferno
 F#m                     A                 E
Viver a divina comédia humana onde nada é eterno
 F#m                                         G#m
Ora direis, ouvir estrelas, certo perdeste o senso
Eu vos direi no entanto:
          F#m                             A
Enquanto houver espaço, corpo e tempo e algum modo de dizer não
    E
Eu canto