ALGUMAS QUESTÕES SOBRE A METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE COMUNIDADE

 

OBS: A LEITURA DA SÍNTESE ESCRITA ABAIXO, NÃO EXCLUI MOMENTO ALGUM A LEITURA DO LIVRO

TEXTO DE EZEQUIEL ANDER-EGG – METODOLOGIA Y PRÁCTICA DEL DESARROLLO DE LA COMUNIDAD

Quando nos referimos ao método temos várias compressões e alcances diferentes:

a)     em uns casos a pressupostos metodológicos;

b)     conjunto de operações e atividades que dentro de um processo  pré estabelecido, , se realiza de uma maneira sistemática para conhecer e transformar a realidade

Numa Segunda acepção utilizamos para explicar as modalidades operativas de desenvolvimento de comunidade que comporta quatro fases:

1)     estudo, investigação e diagnóstico;

2)     programação;

3)     execução;

4)     avaliação

 

Para que se compreenda a metodologia e prática proposta queremos destacar que não é necessário terminar uma investigação para iniciar a ação. Propomos esses passos:

1)     Investigação preliminar –captação dos problemas óbvios e da problemática vivida pela comunidade;

2)     Diagnóstico preliminar – conhecimento dos problemas mais evidentes que permitem ação imediata;

3)     Planejamento das ações preliminares;

4)     Execução do planejamento preliminar  - para abordar os problemas óbvios da comunidade;

5)     Avaliação preliminar (de caráter contínuo)

6)     Investigação geral

7)     Diagnóstico geral

8)     Planejamento geral

9)     Execução  do plano geral

10) Avaliação geral

  Os motivos pelos quais pensamos iniciar as ações antes de ter um diagnóstico acabado se fundamenta  em conclusões que nos são ditadas pela experiência. Algumas razões:

a)     Alguns dos problemas das comunidades urbanas e rurais , são demasiadamente evidentes e urgentes que não podem esperar a conclusão de estudos prévios e exaustivos , bem como, da elaboração de projetos e programas específicos;

b)     Uma equipe ou promotor que trabalha sobre o terreno realizando somente investigações pode predispor adversamente  a comunidade que não entende para que serve tudo isso e nem sabem que esses estudos são fases transitórias do processo.

c)      Temos que recordar que a maioria dos programas de desenvolvimento de comunidade se realizam em governos que tem prazos determinados e que não ousam executar programas e projetos além da sua permanência no poder;

d)     Em nossos países existem um superavit de investigações e um déficit muito grande de execuções de programas que atendam as populações mais necessitadas.  

 

 

ETAPAS GERAIS DO PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO

  1)     Formulação do problema . Determinação do que se pretende investigar de acordo com âmbito , setor de intervenção e objetivos do programa de desenvolvimento de comunidade;

2)     Desenho da investigação;

3)     Constituição da equipe de investigação;

4)     Eleição dos instrumentos metodológicos;

5)     Organização do material de consulta e investigação;

6)     Eleição do tipo de amostra  da unidade de trabalho (quando o trabalho assim exigir)

7)     Utilização dos instrumentos  e dos procedimentos;

8)     Preparação da comunidade , da organização dos grupos  que vai se realizar o trabalho;

9)     Obtenção e análise dos dados;

10) Iniciação das tarefas preliminares  e da inserção dentro da comunidade;

11) Classificação, codificação e tabulação dos dados;

12) Análise elaboração e interpretação dos dados;

13) Elaboração do documento contendo os resultados dos dados da investigação e diagnóstico.

 

INVESTIGAÇÃO E DIAGNÓSTICO PRELIMINAR

  A  investigação preliminar comporta como núcleo metodológico a utilização de quatro procedimentos principais, a saber:

a)     Observação;

b)     Entrevistas individuais e com grupos; formais e informais

c)      Consulta a documentação

d)     Leitura de mapas (quando o trabalho assim exigir)

 

Observação é uma técnica das mais primitivas utilizadas no campo das ciências sociais e, não resta a dúvida é uma das técnicas mais modernas .

Como técnica de busca de dados e informações, consiste em observar o agente no seu contexto real, onde desenvolve suas atividades.

Algumas orientações:

a)     Utilizar a observação com objetivo bem definido. Antes de iniciar a observação, definir  e estabelecer o que realmente quer observar.

b)     Planejar o que ira observar, para não desviar do objetivo.

 

Entrevistas individuais e com grupos – formais e informais

A utilização do instrumento de entrevista , aliados a observação possibilita ao profissional uma visão mais objetiva sobre seu objeto de busca.

 

Consulta a documentação – consiste  compilar dados através do manuseio de documentos oficiais e extra-oficiais:

Fontes históricas

Fontes estatísticas

Informes e estudos

Memórias e anuários

Documentos Oficiais

Arquivos privados

Diários , periódicos, revistas etc.

Documentos gráficos

Documentos orais ( discos, gravações etc )

 

Leitura de Mapas – Os mapas devem ser utilizados conforme as necessidades e a localização do trabalho do profissional;

Mapa da divisão política e administrativa

Mapa ortográfico

Mapa hidrográfico

Mapa de relevos com curvas de nível

Mapa climatológico

Mapa ecológico

Mapa de densidades depopulação

Mapa de redes de comunicação

Entre outros...

   

COMO REALIZAR UMA INVESTIGAÇÃO GERAL

  I.      LOCALIZAÇÃO

II.       MARCO-HISTÓRICO

III.      ESTRUTURAS FÍSICAS FUNDAMENTAIS

IV.     INFRA ESTRUTURA E EQUIPAMENTO

V.      ESTUDO E MOVIMENTO DA POPULAÇÃO

VI.     NÍVEIS DE VIDA

VII.    ORGANIZAÇÃO SOCIAL

VIII.    PERCEPÇÃO DO CÂMBIO SOCIAL

IX.     RECURSOS E POTENCIALIDADES

 

I.                   LOCALIZAÇÃO

A localização se dará de acordo com o caso concreto que se deseja estudar, pode ser uma comunidade  (bairro, vila, cidade etc...) dentro de uma comunidade mais ampla, uma grande cidade ou um pequeno povoado, um conglomerado dentro de um bairro ou uma comunidade rural.

  II            MARCO HISTÓRICO

            Em geral os estudos de comunidade descuidam com os aspectos  históricos. Inevitavelmente esses estudos pressupõe algum tempo. Porém nos  ajuda  a compreender a comunidade no seu tempo, sua localização geográfica e seu espaço.

            Sobre esse tópico é muito difícil propor um guia, porem recomendamos as obras de Fals Borda e Pauline Yong.

   Quando surgiu a comunidade ?

 Em quais circunstâncias ?

Quais os grupos foram os primeiros habitantes da comunidade ?
       Que grupos  sugiram depois ?

Houve separação dos grupos ? É possível identificar a razão ?

Pode se dividir a história da comunidade em períodos ? Quais as características  de cada período ?

Como é a estrutura atual e antiga da comunidade, registrada em documentos oficiais ?

 

 

III ESTRUTURAS FÍSICAS FUNDAMENTAIS

              O estudo das estruturas físicas fundamentais tem por  finalidade conhecer e estudar a comunidade no seu meio geográfico e compreende os seguintes aspectos:

 

1)     Morfologia

a)     Relevo

b)     Solo

c)      Hidrologia

d)     Hidrografia

 

2)     Geologia

3)     Clima

a)     Temperatura

b)     Precipitações

c)     Movimento da Atmosfera

d)     Umidades

e)      Tensão do vapor

f)       Heliofania

4)     Fitogeografia

5)     Zoogeografia

6)     Regiões geoeconômicas

 

1)     MORFOLOGIA

Os estudos de morfologia compreendem  os seguintes elementos:

a)     Relevo: O relevo influi direta e indiretamente nas condições de produção fundamentalmente das pessoas residentes nas zonas rurais.

b)  Solos. Convém estudar os seguintes aspectos

Superfície territorial e sua utilização

Solos disponíveis para fins agrícolas

Capacidade do uso dos solos disponíveis

Tipos de solos

Tipos de erosão

 

c)      HIDROLOGIA – Se estuda em especial:

Mananciais, lagunas, lagos, arroios, rios  etc.

Utilização para pesca, irrigação etc.

Águas disponíveis e lençóis freáticos

 

d) HIDROGRAFIA – Quando necessário deve-se estudar:

O litoral marítimo

 Desembocaduras e estuários

 Plataformas submarinas

 

2)     GEOLOGIA – Devem estudar:

  Mapas de relevos e mapas hidrográficos

Existência de recursos minerais

 

3)     CLIMA – Se trata de um conjunto de condições atmosféricas que  caracterizam um pais ou uma região

a)     Temperatura –

Variações anuais

Variações estacionais

 b)     Precipitações – Causadas pelo homem e pela própria natureza

c)      Movimento da atmosfera – Ventos dominantes, direção dos ventos e intensidade.

 

4)     FITOGEOGRAFIA – O estudo fitogeográfico interessa o solo e as condições e obras da natureza.

Bosques

Pedreiras

 5)     ZOOGEOGRAFIA  - Se estuda aquelas espécies de animais que tem haver com a realidade socio-econômica daquela comunidade.

Possibilidade de pesca

Existência de pássaros, insetos

Animais parasitários etc

 

6)  REGIÕES GEOECONÔMICAS – As características específicas de uma determinada comunidade podem apontar para sua auto sustentação econômica. Deve o estado e a população conhecerem suas potencialidades e limitações.

 

IV – INFRA ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS – O estudo da infra estrutura e de equipamento podem variar de região para região e compreendem os seguintes aspectos:

1)     Comunicações

Condições físicas de circulação

Redes de ruas

Redes de linhas férreas

Vias navegáveis

Portos marítimos e fluviais

Aeroportos

Telecomunicações

 

2)     Grandes trabalhos de regulação  de cursos de água , irrigação, drenagem e educação de água.

3)     Instalação e produção de energia

4)     Ocupação   e utilização do solo

5)     Implantação industrial

6)     Implantação residencial

 

V – ESTRUTURAS E MOVIMENTOS DA POPULAÇÃO

a)     Aspecto estático – que diz respeito ao  estudo da população em um momento determinado: volume , distribuição segundo características de idade, sexo, ocupação etc.

b)     Aspecto dinâmico – estuda o desenvolvimento da variação da população por efeitos de causas naturais e vitais (matrimônios, nascimentos, óbitos etc.)

 

VI – NÍVEIS DE VIDA

  a)      NÍVEL SANITÁRIO

CONDIÇÕES DEMOGRÁFICAS

Natalidade

Longevidade

Mortalidade Geral

Mortalidade Específica

Mortalidade Infantil

 

GEOGRAFIA SANITÁRIA

Epidemias

Endemias

Enfermidades parasitárias

Enfermidades sociais e mentais etc.

 

CONDIÇÕES DE HIGIENE

Água potável

Banheiros etc.

 

CULTURA SANITÁRIA

Freqüência de contatos com médicos

Utilização de remédios e chás caseiros

 

MEDICINA SOCIAL

Proporção de pessoas vinculadas aos institutos de seguridade

 

NÍVEL NUTRICIONAL

Calorias por habitantes

Tipos de alimentação

 

EQUIPAMENTOS

Salas de primeiros socorros

Hospitais e números de camas

Número de médico e de população

Gastos públicos com saúde

Especialidade de médicos

Assistentes Sociais

Outros profissionais

Parteiras, etc...

 

NÍVEL HABITACIONAL

1)     Caráter Jurídico da Ocupação

Proprietário

Inquilino

Cedida

Outro

2)     Tipo de Moradia

Individual

Compartilhada

Adaptada

 

3)     Material de Construção

Alvenaria

Barro

Lata

Outro

 

4)     Superfície por pessoa

Menos de 5 metros

De 5 a 10 metros

Outros...

 

5)     Promiscuidade

6)     Mobiliário

Mais de uma pessoa por cama

Outros

 

EQUIPAMENTOS

 

Distâncias

Transportes

Abastecimento de água

Higiene

Qualidade do ar

Luz

Urbanização

 

NÍVEL EDUCACIONAL

 

1)     Analfabetos

2)     Níveis de educação

Educação infantil

Ensino fundamental

Ensino médio

Educação superior

Pós-graduação

Atraso escolar

 

EQUIPAMENTOS

Número de escolas

Distância das escolas

Estrutura física das escolas

Gastos público

Condições de educação etc

 

NÍVEIS DE INFORMAÇÕES GERAIS

Estratificação Social

Número e tipos de eventos

Reconhecimento Político (da cidade e/ou localidade)

Personalidades (ilustres e populares)

Número de hotéis ... outros