Caleidoscópio

Romance Ideal

Lanterna dos Afogados

A Novidade

O Beco

Assaltaram a Gramática

 

 

Caleidoscópio

Herbert Vianna

 

G                        C7/9

Não é preciso apagar a luz

G

Feche os olhos e tudo bem

C7/9

Num caleidoscópio sem lógica

C7/9

Eu quase posso ouvir a tua voz

G

Eu sinto a tua mão a me guiar

C7/9

Pela noite a caminho de casa

Am7

Quem vai pagar as contas desse amor pagão

Bm7

E ter dar a mão e trazer à tona pra respirar

D7

E vai chamar meu nome onde escutar

G                         C7/9

Me pedindo para apagar a luz

G

Amanheceu, é hora de dormir

C7/9

Nesse nosso relógio sem órbita

G                         C7/9

Se tudo tem que terminar assim

G

Que pelo menos seja até o fim

C7/9

Pra gente não ter nunca mais que lembrar

 

 


 

Romance Ideal

Herbert Vianna - Martin Cardoso

 

(E G#m F#m A7+)

Ela é só uma menina

E eu pagando pelos erros

que eu nem sei se cometi

Ela é só uma menina

E eu deixanado que ela faça

o que bem quiser de mim

F#M            A7+      C#m7     G#m7    G#m7    A7+

Se eu queria enlouquecer essa é a minha chance

Am7             E    E7/4    E7

E tudo que eu quis

F#m             A7+       C#m7

Se eu queria enlouquecer

G#m7   F#m7      A7+ Am7

Esse é o romance ideal

(E G#m F#m A7+)

Não pedi que ela ficasse

Ela sabe que na volta

Ainda vou estar aqui

Ela é só uma menina

E eu pagando pelos erros

Que eu nem sei se cometi

 

 

 

 

Lanterna dos Afogados

Herbert Vianna

 

(B  C#/B  Bbm  Ebm)

Quando tá escuro e ninguém te ouve

Quando chega a noite e você pode chorar

Há uma luz no túnel dos desesperados

Há um cais do porto pra quem precisa chegar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando, vê se não vai demorar   E5/9

(B  C#/B  Bbm  Ebm)

 

Uma noite longa por uma vida curta

Mas já não me importa basta poder te ajudar

E são tantas marcas que já fazem parte

Do que sou agora  mas ainda sei me virar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando  vê se não vai demorar   E5/9

 

(B  C#/B  Bbm  Ebm)

Uma noite longa por uma vida curta

Mas já não me importa, basta poder te ajudar

Eu tô na lanterna dos afogados

Eu tô te esperando...

 


 

A Novidade

Gilberto Gil - Boao Barone - Herbert viana - Bi Ribeiro

 

(G  D  C)

A novidade veio dar a praia

Na qualidade rara de sereia

Metade o busto de uma deusa maia

Metade um grande rabo de baleia

A novidade era o máximo

Do paradoxo escondido na areia

Alguns a desejar seus beijos de deusa

Outros a desejar seu rabo pra ceia

G7+          Em7/9

O mundo tão desigual

D

Tudo é tão desigual

C7+

O, o, o, o...

G7+              Em7/9

De um lado esse carnaval

D

De outro a fome total

C7+

O, o, o, o...

(G  D  C)

E a novidade que seria um sonho

O milagre risonho da sereia

Virava um pesadelo tao medonho

Ali naquela praia, ali na areia

A novidade era a guerra

Entre o feliz poeta e o esfomeado

Estraçalhando uma sereia bonita

Despedaçando o sonho pra cada lado

G7+         Em7/9

Ô Mundo tão desigual...

(G  D  C)

A Novidade era o máximo...

G7+         Em7/9

Ô Mundo tão desigual...


O Beco

Herbert Vianna - Bi Ribeiro - Joao Barone

 

(Bm  A)

No beco escuro explode a violência

Eu tava preparado

Descobri mil maneiras de dizer o teu nome

Com amor, ódio, urgência

Ou como se não fosse nada

 

No beco escuro explode a violência

Eu tava acordado

Ruinas de igrejas, seitas sem nome

Paixão, insônia, crença, liberdade vigiada

 

No beco escuro explode a violência

No meio da madrugada

Com amor, com ódio, urgência

Ou como se não fosse nada

 

Mas nada perturba o meu sono pesado

Nada levanta aquele corpo jogado

Nada atrapalha aquele bar ali na esquina

Aquela fila de cinema

Nada mais me deixa chocado

Nada

 


 

Assaltaram a Gramática

Hebert Vianna

 

Intr.: C#m   E   B

E                  C#m       E

Assaltaram a gramática

C#m       A

Assassinaram a lógica

F#m                G#m  F#m

Meteram poesia, na bagunça do dia-a-dia

E

Seqüestraram a fonética

Violentaram a métrica

G#m   F#m    E

Meteram poesia onde devia e não devia

C#m            G#m

Lá vem o poeta com sua coroa de louro

G#                A

Agrião, pimentão, boldo

F#m        G#m        C#m

O poeta é a pimenta do planeta

Malagueta