Pressupostos Valorativos de DC - Perspectiva de Transformação Social

Nessa perspectiva , os princípios valorativos do Serviço Social são determinados historicamente e decorrem da estrutura social da qual emergem e representam interesses de classe. Esta proposta estabelece como opção para prática de Serviço social o conjunto de valores que atendem aos interesses da classe subalterna, voltados para a formação da consciência, politização, organização e gestão popular, visando a transformação social. Esse conjunto de valores não se encontra devidamente explicitado, estando em processo de formulação.  Numa aproximação podem ser assim expressos:

Respeito a pessoa e autodeterminação

Considerando o valor de pessoa humana sua individualidade , cabe a esta a decisão e ação própria , sem se deixar influenciar e enganar por maquinarias de opinião pública pré-fabricadas e participando ativamente da vida pessoal , profissional e nacional , de forma global.

Responsabilidade pessoal e social

Como homem o assistente social tem sua própria responsabilidade pessoal e social, conjugada à sua responsabilidade profissional. Essas responsabilidades constituem uma totalidade e torna-se impossível dicotomizá-las. Ser profissional é atributo do homem ; não pode , enquanto o exerce  negar o sentido profundo , seu fazer substantivo e original. Quanto mais se capacita como profissional mais se serve do patrimônio cultural , aumentando sua responsabilidade como homens. Não pode tornar-se um burocrata no exercício de sua profissão, deixando de servir aos fins-homens , para servir aos meios. Não pode deixar-se converter-se em escravos técnicos.

Desenvolvimento de potencialidades para a transformação social

Sendo um dos objetivos do Serviço Social ajudar o homem a enfrentar seus problemas na sua atuação, o assistente social deve rejeitar as ações que contrariam essa finalidade. A crença autêntica no ser humano e em suas potencialidades o fará eliminar toda atitude paternalista, autocrática, manipuladora , bem como dogmática.

Compromisso

O Assistente Social como homem e como profissional deve estar comprometido com o mundo , com vistas à sua transformação mediante  a   humanização. Esse compromisso se dá através do seu engajamento na realidade. a pseudoneutralidade frente ao mundo, frente à história, frente aos valores deve ser rechaçada. Esta pseudoneutralidade significa compromisso consigo mesmo, numa ação egoística, atendendo a interesses próprios ou de grupos e instituições aos quais pertence.

Busca e criatividade 

O compromisso do Assistente Social consigo mesmo e com o mundo o faz comprometer-se com a profissão, em fazê-la  continuamente. Desprezando o dogmatismo, busca o seu aperfeiçoamento numa atividade aberta a reformulações e inovações , num diálogo profundo e constante com os homens. Busca criatividade são impulsos inerentes à sua atuação como profissional.

Visão crítica da realidade

O compromisso do Assistente Social se dá mediante a práxis, ação e reflexão sobre a realidade. A inserção na realidade implica um conhecimento crítico da mesma. Torna-se uma exigência a superação do especialismo, com abertura da visão do mundo. Essa superação ocorre pela ampliação de conhecimento em torno do homem, substituindo uma visão ingênua pela visão crítica do mundo. A realidade social exige do Assistente social, nesse momento histórico, uma reflexão sobre a mesma, da qual  resulte sua inserção para a transformação social.

Confiança na realidade e capacidade de criação das pessoas

Reconhecimento , por parte do assistente Social , da validade e importância dos procedimentos da população engajada. A técnica  e a decisão do Assistente Social não podem substituir  as ações e decisões da população: antes devem complementá-las. Não existe grupo superior ou inferior , ambos os procedimentos são manifestações culturais, ambos são válidos cada um em seu marco. A confiança que o Assistente Social deposita  na realidade e a capacidade de criação da população viabiliza o diálogo, uma autêntica conversação crítica e verdadeira, intercâmbio de ação e reflexão.

Humanização do mundo - dimensão histórica

O verdadeiro humanismo se esforça no sentido de revelar e conhecer a realidade. Essa descoberta da realidade supõe a realização do homem como sujeito da história, transformando sua realidade. A conceituação do homem como  um ser que é práxis e o reconhecimento de sua dimensão histórica vão substituir a visão do homem/coisa , por um homem/sujeito da história, transformador do mundo. Constitui a concepção humanista do serviço Social, a constante problematização do homem mundo.

Visão de sociedade

A  sociedade nesta perspectiva, é visualizada a partir do conceito de estrutura , entendida como totalidade constituída por uma estrutura econômica  (conjunto de relações de produção) a base do qual se levanta uma superestrutura jurídico política e a qual correspondem a formas sociais determinadas de consciência. A vinculação entre a base econômica e a superestrutura é estabelecida pelas classes sociais que, constituídas historicamente , são decisivas na estruturação e transformação do todo social.

(Texto da Revista Serviço Social e Sociedade n. 4 - p. 130/133 - de Elizete Cardozo)